Colocação de Balão Intragástrico

Perca peso de forma saudável
sem os sacrifícios das fórmulas mágicas

É uma técnica de combate à obesidade que consiste na introdução de um balão inflável de silicone dentro do estômago por via endoscópica, associado a uma leve sedação. Logo após a sua introdução, o balão é inflado com cerca de 500 a 700ml de soro fisiológico, corado com tintura de azul de metileno, com a finalidade de reduzir a capacidade do estômago e a ingestão de alimentos. Trata-se de um procedimento simples e é realizado no ambulatório. Não é necessário internação. O tempo de permanência máxima do BIB é de 6 meses (tempo de garantia do fabricante). A retirada do balão é também realizada através de endoscopia, à nível ambulatorial e com leve sedação.Venha conversar conosco na Climedt Endos, teremos o maior prazer em tirar as suas dúvidas.

Mecanismo de ação

Uma vez inflado dentro do estômago, o BIB estimula receptores do fundo gástrico que sinalizam para o sistema nervoso central (cérebro) provocando uma saciedade precoce do reservatório gástrico. O espaço ocupado pelo balão gástrico também age na diminuição da capacidade do reservatório gástrico. Estes dois mecanismos de ação levam a redução do volume de alimentos ingeridos e a consequente diminuição do aporte calórico ocasionando a perda de peso e redução da obesidade.

Peso: kgs
Altura: m cm
Quem é candidato a colocar o Balão Intragástrico?
Pacientes obesos com IMC abaixo de 35 que não respondem a tratamento clínico por mais de 3 anos.
Pacientes obesos com IMC maior que 35 que não apresentam condições de serem submetidos à cirurgia de obesidade por contraindicação médica.
Ou ainda aqueles pacientes que não querem se submeter a um procedimento cirúrgico embora sejam obesos mórbidos.
Perguntas mais frequentes
Uma boa avaliação médica, bem como de toda a equipe multidisciplinar minimizam os riscos de colocação e retirada do balão gástrico, que se equivale a um exame rotineiro de endoscopia.
É comum o paciente passar por um período de adaptação. Nas primeiras horas após a colocação do balão gástrico, alguns pacientes apresentam náuseas, vômitos e sensação de peso, que podem causar algum desconforto. Todos os sintomas são minimizados com a prescrição medicamentosa para cada paciente e deve cessar em 3 dias.
Não existe milagre para a perda de peso e sim a adesão ao tratamento escolhido para obter êxito. Só haverá uma redução calórica importante na dieta nutricional, orientada para o paciente com mudanças dos hábitos alimentares. É nesta reeducação alimentar que se baseio todo o tratamento do balão intragástrico. É um processo lento, trabalhoso e de muita perseverança que necessita da colaboração e comprometimento pleno do paciente.
Remédios x Balão
Luiz Eduardo Campedelli, gastroenterologista e endoscopista do Hospital Albert Einstein, destaca outra vantagem dessa prática: o balão é uma alternativa para quem não consegue se livrar dos remédios para emagrecer. "Muitos pacientes são usuários de anorexígenos, hipercatabólicos etc. Quando criteriosamente indicados, seja em relação ao tempo do tratamento, seja em relação à patologia, eles são benéficos e adequados. O problema é a banalização, a evidência de que os riscos são maiores que os benefícios. Nesses casos, o balão pode ser a saída".
Esse foi o caso da engenheira eletrônica Maria Angela Oliveira, que tentou todos os tipos de tratamento e dietas, sem sucesso. Ela conta que depois dos 45 anos passou a ter maior dificuldade para emagrecer. A razão principal para escolher o balão foi o fato que o procedimento não era invasivo.
"Usei o balão por 7 meses e perdi 31kg. Saí dos 107kg e cheguei aos 76kg. O meu histórico era aquele onde o remédio sempre levava o mérito pela perda de peso. Mas o balão, a reeducação alimentar e a introdução da atividade física me permitiram alcançar esse resultado. A minha colaboração foi a disciplina. Passados três meses da retirada do balão, o peso ainda está sob controle. A experiência foi tranquila e rápida. Não tive nenhuma reação", conta.
Vídeos